quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Arte de ontem e arte de hoje


É preciso que o espectador entenda muito de arte ou tenha um estudo profundo para saber apreciá-la? Deve-se somente saber apreciá-la "intelectualmente"?

E o gosto? Também não seria o olhar a estética da arte e o prazer que ela lhe proporciona algo muito importante?

Nas artes plásticas, a arte acadêmica era produzida através dos padrões definidos, grandiosos e é idealmente bela acerca da retratação da realidade. Tem toda sua importância histórica. Porém não me atrai tanto quanto a arte moderna e a contemporânea. 

A arte saiu da aristocracia quase exclusivamente européia e libertou-se. A arte contemporânea é desprovida de preconceitos. A conceitual provoca a reflexão. Só não acho boa ideia quando a conceitual "endeusa" o feio e o asqueroso como sendo algo bom e positivo. Bom, voilà! Mente aberta!

É inegável que existiram os titãs, grandes artistas. Por isso julgam muito os artistas de hoje: julgam-nos medíocres. Eu, particularmente, não gosto de me prender muito às tradições, às convenções artísticas, pois a arte, queira ou não, é mutável. Através dos tempos, aconteceu uma ruptura daquela utopia romântica e do belo/sublime. 

Há multiplicidade no mundo, a sociedade é complexa, e por que a arte não seria hoje? A meu ver, só sei de uma coisa: a arte também é intuição autoral, emoção pessoal.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A obra de arte como investimento

Hoje citarei aqui os dizeres do marchand mato-grossense Abílio Antunes sobre a importância de se adquirir uma obra de arte. Não sei onde encontrei o texto. Aliás, há muitos blogs e sites que fazem referência a ele. Leiam com atenção:

"POR QUE ADQUIRIR UMA OBRA DE ARTE?

Uma coisa é decorar, aleatoriamente, uma residência. Outra, bem diferente, é atender o mesmo objetivo, mas levando em conta, pelo menos, a possibilidade de recuperar o investimento. Sendo que muitas vezes se adquire um objeto de decoração pelo mesmo valor de uma obra de arte, mas que não aumentará de valor, pelo contrário, é apenas algo pendurado na parede.

E pra quem resolve encarar arte não apenas como uma paixão, mas como um investimento, precisa ficar de olho em outros fatores: têm mais chance de valorização aquelas obras de artistas que costumam expor em boas galerias, que já receberam boas críticas, que já ganharam prêmios, tiveram livros escritos sobre seu trabalho ou expuseram no exterior, por exemplo. Obras de artistas que investem em suas carreiras foram adquiridas há dois anos por R$ 1.000,00 e hoje podem chegar a R$ 4.000,00.

Mas mais do que isso: seja o investidor um iniciante ou um colecionador mais experiente, o importante é comprar obras que atendam a seu gosto pessoal, de artistas que costumem expor e ser bem criticados e sempre, sempre atentando para questões de governança do acervo, como a procedência da obra, sua declaração para fins de Imposto de Renda e o estabelecimento de regras de doação e transmissão.

E no caso do Brasil, Reis lembra que não há histórico de desvalorização recente. 'Nos últimos dez anos, a arte brasileira tem valorizado muito acima de todos os outros investimentos tradicionais. Na crise de 2008 não houve desvalorização, ao contrário do que aconteceu com a arte em alguns países desenvolvidos. A produção artística brasileira tem sido espetacular. Mesmo para um leigo, está difícil errar nesse mercado'."

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Obras de arte acessíveis e mais novidades

Olá, amigos apreciadores!

Tenho duas novidades para o blog: uma matéria especial que saiu em uma revista muito requisitada aqui na região do Vale do Aço e lançamento de pequenas obras de arte.

A Revista MaisVip em Foco publicou matéria exclusiva sobre meu trabalho e trajetórias. 






Deixo a versão digital para vocês nesse link aqui. Confiram!
















E a outra novidade é que acabo de lançar pequenas obras com pinturas diversas, peças únicas! Por quê?

Porque a arte é para ser apreciada e é um investimento. Sempre pensei em fazer arte para todos os bolsos desde que comecei a imprimir uma de minhas séries em canecas, capinhas, azulejos, etc. Então, fica aqui minha proposta.

Comecei a fazer pequenas pinturas sobre telas padrão 30x30 cm. Pequenas, mas originais, peças únicas e com certificado de autenticidade. A moldura é por conta do comprador. E com um preço acessível para quem sempre teve vontade de ter uma obra minha assinada.


Cada obra custa R$199,90 à vista. No cartão de crédito tem um pequeno acréscimo e pode ser dividido em até 12 parcelas.
Com certificado de autenticidade.
Importante: eu envio para todo o Brasil!

Arte e alma!